quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Mais Lagoa

A Lagoa nem sempre foi como é hoje.
Suas margens já foram um grande e tranquilo areal, depois ficou cercada de favelas, que não deixavam, à mostra, sua real beleza.
A favela da Praia do Pinto foi uma delas.

foto- Arquivo Nacional / reprodução

Considerada a maior favela horizontal de então, era formada por moradores que viviam no terreno da família Gomes de Mattos, correspondente à Chácara do Céu, na encosta do morro Dois Irmãos, por trás do Hotel Leblon.

Por volta de 1935, a Companhia de Terras do Leblon, de propriedade da família, loteou o terreno e transferiu os moradores para um sítio próximo à Lagoa e ao campo do Clube de Regatas do Flamengo, onde mais tarde também se juntaram migrantes nordestinos e tantas outras pessoas.

Com barracos de madeira e teto de zindo, sem higiene, conforto ou água, bichos soltos - porcos, galinhas - com dejetos correndo livremente por valas e sulcos cavados no solo do antigo areal, ali, na Praia do Pinto - anteriormente Praia do Zé do Pinto - a favela resistiu até 1969 quando, antes de sua remoção, desapareceu depois de um incêndio. No seu lugar foi erguido um conjunto de prédios, conhecido como Selva de Pedra, nome dado devido a uma novela da tv, à época de sua construção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!