terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Até Breve!



O blog vai dar uma parada, para férias e descanso.

Muita paz, muita saúde a todos
e esperanças renovadas pro ano que se inicia.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Orgulho e paixão

Ontem,
na hora a emoção, logo após o término do jogo, só deu pra por uma única imagem. Alegre, sorridente e brincalhona. Ela bastava.

Hoje
é preciso mostrar e falar um pouco mais dessa NAÇÃO, de todas as idades, que vestiu, lindamente, a cidade de vermelho e preto, de norte a sul.




Fotos: jornal Extra, o Globo - reprodução da internet


Uma NAÇÃO que renovou os estádios.
Uma NAÇÃO que traduziu amor em cantos com letras e melodias a cada jogo, a cada momento, a cada conquista.
Uma NAÇÃO de muitas coreografias.
Uma NAÇÃO no Rio e no mundo.

Muitos dos que ontem comemoravam não viram e viveram os outros cinco títulos.

EU VI! EU TORCI! EU VIVI!

Cada um com seu sabor diferente. O gol de Nunes, em 80 - no final do segundo tempo - que começou tudo e considero inesquecível, o grande gol da história pra mim.

Depois, 82 contra o Grêmio, 83 contra o Santos, 87 contra o Atlético Mineiro, de novo, e 92 o grande Junior comandando a festa.

Em todos esses momentos uma figura especial esteve presente. E ontem, também. Em outra posição, regendo de maneira nobre e equilibrada.

Andrade. O grande nome.


E aí aparece outro momento histórico assinado pelo Flamengo: o primeiro treinador negro, da história do futebol brasileiro a comandar um grande time e ser campeão. Isso só poderia ter a assinatura rubro-negra. O Flamengo a deixar de lado os almofadinhas pernósticos de terno e pranchetas de cálculos e estratégias matemáticas.

Andrade treinou, formou um time com o que bastava: competência, serenidade, entendimento. Características dos que têm realmente talento. Dos que fazem mais do que falam. Dos que realizam mais do que fazem alarde.

Esse é o verdadeiro hexacampeão! E a ele todos nós agradecemos!

ESSE É O CARA!

Dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe, ô
Dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe, ô

domingo, 6 de dezembro de 2009

sábado, 5 de dezembro de 2009

Hoje, dia 5, o Natal chega oficialmente na cidade,
com a inauguração de mais uma árvore na Lagoa.


Quem quiser saber mais a respeito, é só clicar aqui.
No site vai valer, e muito, ouvir, inclusive,
a bela canção composta especialmente por Marcos e Paulo Sergio Valle,
para trilha sonora da festa.
É o clima festivo de confraternização de fim de ano que chega!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Tour Virtual pelo Palácio da Cidade

Se você nunca entrou no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura do Rio de Janeiro, um convite para conhecê-lo.

A prefeitura disponibiliza um interessante passeio virtual pelos seus recantos.

Então, clique aqui e faça um tour pelo Palácio da Cidade.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A primavera no samba

"OH! PRIMAVERA ADORADA
INSPIRADORA DE AMORES
OH! PRIMAVERA IDOLATRADA
SUBLIME ESTAÇÃO DAS FLORES"


Esse refrão é do belo samba enredo da Estação Primeira de Mangueira, do Carnaval de 1955, quando a escola desfilou AS QUATRO ESTAÇÕES DO ANO.

Nesse DIA NACIONAL DO SAMBA lembramos o samba que é cantado até os dias de hoje, considerado um dos mais belos de todos os tempos, e que tem a assinatura nobre de Alfredo Português, Jamelão e Nelson Sargento.

VIVA O SAMBA! VIVA A PRIMAVERA!




terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Primavera inspiradora...

Desde as primeiras projeções, os filmes mudos eram sempre acompanhados de música incidental, seja por pianistas, instrumentistas, pequenos conjuntos ou até orquestras completas.

Aí vieram os chamados filmes cantantes, onde som e a imagem ganharam outra dimensão: sincronismo sonoro. Através do acompanhamento musical, nas cenas projetadas, e, principalmente, entre as canções apresentadas ao vivo e as partes cantadas na tela, típicas dos gêneros musicais, ocultação dos atores e cantores atrás da tela, etc.

A partir de 1930, a infra-estrutura para a produção de filmes no país se sofistica com a instalação do primeiro estúdio cinematográfico, o da companhia Cinédia, no Rio de Janeiro, de Adhemar Gonzaga, jornalista que escrevia para a revista Cinearte.

E aí surge o cinema ligado à revista musical, com a fórmula de sucesso, que alternava músicas e sátiras da época.

Um desses filmes, e um marco do gênero é Alô, alô Brasil, produzido pela Cinedia em 1935, que marca a estréia de Carmem Miranda, cantando, em um longa-metragem.

Nesse tempo, no Rio, durante a primavera preparavam-se as festas da mocidade, com as lindas Rainhas da Primavera, ótimo motivo para produção de músicas de todos os gêneros.
Nisso inspirado, João de Barro, o Braguinha, compôs uma alegre marcha: Primavera no Rio.
Clique no título da música e ouça!


Carmem Miranda cantando Primavera no Rio

E Carmem Miranda interpreta a música Primavera no Rio, no número final do filme Alô, Alô Brasil, de 1935. Fechar um filme com número musical, na época, era honra reservada somente aos grandes artistas. Carmem estreou em grande estilo!