sábado, 27 de fevereiro de 2010

VIVA A BOSSA NOVA! SEMPRE!


A imagem acima traz uma frase do livro A ONDA QUE SE ERGUEU NO MAR, de RUY CASTRO, originariamente escrita em português e vertida para 6 outros idiomas pela livraria TOCA do VINICIUS, que a expôs em sua porta, no dia do aniversário da Cidade do Rio de Janeiro, em 2008, ano do cinquentenário da BOSSA NOVA.

À época foi inaugurada com a presença do Escritor, do secretário municipal de cultura, pelos cônsules gerais do Japão, da Argentina e da França, pela secretária consular da Alemanha, pelo adido cultural da Itália e pelo cônsul americano para assuntos de educação e cultura.

Agora a frase e suas versões se transformarão em um painel pintado sobre azulejos, que estará na entrada do acesso Teixeira de Mello da Estação IPANEMA do metrô.

A frase completa diz o seguinte :

"Quando ninguém falava
em paz, saúde e ecologia,
essa já era a plataforma
da BOSSA NOVA.
Hoje, em que esses temas
estão na pauta
das aspirações nacionais,
a BOSSA NOVA voltou a ser
a trilha sonora de um Brasil ideal."


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

QUEREMOS TOM JOBIM!


Carlos Alberto Afonso, da TOCA DO VINÍCIUS,
a livraria carioca de música, pioneira na idéia
e em empreendimentos da cultura da cidade,
enviou à Secretária Municipal de Cultura, Jandira Feghali,
formalmente, o pedido de instalação da
estátua a Tom Jobim, em Ipanema, bairro do seu coração.


O RIO QUE MORA NO MAR, assina embaixo.


A cidade vem preenchendo tão bem ausências
de pessoas queridas, com suas estátuas pela cidade.
Que bom poder sentar ao lado de Drummond,
passar por Noel, Ari, Braguinha, Caymmi,
e tantos que aqui viveram e amaram esse Rio.

QUEREMOS REVER E CONVIVER
com nosso saudoso e querido TOM JOBIM,
também, ali na Praia de Ipanema!


____________________________________


Leia, abaixo, o texto enviado e seja mais um nesse pedido!


"Considerando que o Maestro Antonio Carlos Jobim viveu infância, adolescência e toda a etapa heróica de sua vida adulta no Bairro de IPANEMA.E considerando a universalidade deste fato ;

considerando que o Maestro Antonio Carlos Jobim se notabilizou local, nacional e mundialmente por sua vida artística, cuja base e ápice de formação , tanto quanto no plano existencial, estão no Bairro de IPANEMA. E considerando a universalidade deste fato ;

considerando (mais factualmente, ainda) que a prinicpal alavanca para a notoriedade artísitca de sabida dimensão internacional do Maestro Antonio Carlos Jobim está na IPANEMA da ‘Garota’. E considerando a universalidade deste fato ;

considerando que é interesse da Sociedade garantir a lembrança (por altamente exemplar) do Maestro Antonio Carlos Jobim o mais ágil e popularmente acessível para todasas gerações e, democraticamente, para todos os públicos de todas as faixas etárias, de todas as classes sociais e de todas as partes da Cidade, do Estado, do Brasil e do Mundo ;

considerando que a monumentalização pela via da estátua em praça pública é a mais democrática, duradoura e visível e considerando, ainda, que, no caso de nosso MAESTRO,nenhuma referência local é mais completamente condizente com sua vida e obra do que IPANEMA, cuja praia e cuja lagoa foram habitat de sua meninice, adolescência e vida adulta ;

considerando o argumento simultaneamente simples e abrangente de que, a canção GAROTA de IPANEMA, é o mais popular paradigma de sua obra, evidência de quê, além da própria vida, também a obra de TOM o prendem, muito principalmente a IPANEMA ;

considerando, finalmente, a incontestável LEGITIMIDADE deste interesse do Bairro de IPANEMA em perpetuar em seu espaço um dos componentes mais nítidos de sua identidade, e que é interesse amplo de nossa Cidade ter o Cristo no Corcovado, o Pão de Açucar na Urca, o futebol no Maracanã, as Escolas de Samba na Marquês de Sapucaí e tantos outros PINGOS SOBRE OS IIS, como TOM JOBIM EM IPANEMA, solicitamos, uma vez mais, da Exma.Secretária a reflexão, a defesa e a INSTALAÇÃO DE UMA ESTÁTUA DO GRANDE MÚSICO e COMPOSITOR
ANTONIO CARLOS JOBIM (cuja vida, obra e significado justificam com sobras uma ESTÁTUA DELE, que, como músico, como JOÃO GILBERTO, foi o principal arquiteto da BOSSA NOVA) na calçada da Praia de Ipanema, em frente a velha rua Montenegro – onde pontificou – atual Rua Vinicius de Moraes.

Na expectativa de sua apreciação, aprovação e encaminhamento, coloco-me ao seu inteiro dispor para esclarecimento de quaisquer naturezas.

Quem lhe solicita é um daqueles milhares de admiradores da obra do Artista.

Admiradores que, juntos, comprando seus discos, seus livros, comprando os ingressos de seus concertos, viabilizam a caminhada do artista e... todos os seus desdobramentos.

Carlos Alberto Afonso – Livraria TOCA DO VINICIUS e Centro de Referência da Bossa Nova."


domingo, 21 de fevereiro de 2010

Domingo no Arpoador

Hoje, o horário de verão se foi. Mas a estação ainda tem um mês pela frente, com nuances de fim de festa, de recomeço de atividades, com as águas de março, cantadas pelo Tom, ainda por chegar. E ainda vários domingos.

E foi pensando neles que veio, à memória, um programa de TV, do início dos anos 60, chamado Domingo no Arpoador.

Era apresentado ao vivo por Miriam Persia e Oswaldo Loureiro. Uma simples produção de uma câmera na mão, os dois andando pelas areias do então romântico e vazio Arpoador. De uma Ipanema das barracas de pano, sem barraqueiros, sem queijo coalho... Pois é, isso já existiu!




No programa eles conversavam com artistas que ali estavam, tinha música ao vivo, debaixo das barracas, ao som de violão, muita bossa-nova e ainda mostravam as modas da areia, daqueles tempos dos ousados engana -mamãe e meia-taça de tecidos xadrez, babadinhos e laise.

Quem lembra?

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

A Cara do Rio

Uma boa pedida é ir ao Centro Cultural Correios - Rua Visconde de Itaborai, 20, no Centro - e ver a exposição A Cara do Rio.
De terça a domingo das 12h às 19h até 11 de abril .

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Para ouvir, de novo, anos depois...


Em 1983, rádio FM era o máximo. Graças a uma rádio que inovou essa tal de frequência modulada, antes uma coisa de consultório. Por isso ela reinou , absoluta: a Rádio Cidade do Rio de Janeiro, 102,9 MHZ.

Seu diferencial? Poderia dizer que a programação, mas principalmente as vozes marcantes de seus locutores.

O bate-papo entre eles nas passagens de horário era um sucesso tão grande quanto as atrações musicais, pela brincadeira, descontração e o bom humor dos diálogos. Com certeza esse foi o diferencial da rádio. Que vozes! Fernando Mansur, Eládio Sandoval, Monica Venerabile,Paulo Martins, Romilson Luis, Jaguar, Mario Lúcio ...




Com a Rádio Cidade o Brasil experimentou uma linguagem nova. Entre 1977 e 1984, ela foi imbatível e se firmou como uma das FMs mais fortes do Rio de Janeiro e uma das mais influentes no Brasil. Ela criou uma forma de se fazer rádio que, em pouco tempo, se tornou um padrão para as rádios voltadas ao público jovem em todo o país.
Inesquecíveis suas vinhetas!

Uma delas tem a ver com essa época: o lindo Tributo a Lamartine, de 1983.

E vale lembrar.

Pra matar as saudades de um tempo. Pra matar as saudades da carioca Radio Cidade, que não existe mais, mas que continua a tocar na rádio da minha memória afetiva.

Clique AQUI  ...e se delicie com o lindo tributo!


" Quero mandar pra longe a tristeza
Numa festa sem igual..."




sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Marchinhas de sempre



Belo programa da Globonews! Vale ver e rever, sempre!

... e pra complementar... uma seleção de marchinhas na voz de Lamartine Babo

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Vou pra Barra...2

Se gostou do passeio de ontem é só aproveitar a oportunidade!


anúncio_1950- reprodução

" Água límpida... panorama grandioso ...a 80 minutos da centro da Cidade... estradas de primeira que conduzem ao Leblon, ao Alto da Boa Vista, às Furnas da Tijuca e a Jacarepaguá...
...urbanização moderna...calçadas a paralelepípedo...

QUE TAL?

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Vou pra Barra!

Continuando nosso passeio por outros tempos, que tal dar um pulo lá pelos lados da Barra da Tijuca?

Primeiro, comer churros no uruguaio, curtir o vento, a brisa que vem direto do mar; dar um pulinho na Igreja de São Francisco de Paula,na praça Euvaldo Lodi - ver as areias e dunas - depois atravessar a imensidão de terrenos baldios até o cebolão...

Se curtir esportes radicais, vale assistir ao rally na Olegário Maciel...

Anos 60... tão perto, tão longe!






( Agradecimentos à amiga Fatima Barbosa pelo envio das fotos)