segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Anel de grau



Foi-se o tempo que era símbolo de orgulho e status, carregar nos dedos a sua profissão.

O anel de ônix -  geralmente do modelo arredondado -  que identificava as professoras, o sextavado de rubi para os advogados, os de esmeralda dos médicos, a safira azul dos engenheiros.

O anúncio acima foi publicado no jornal do dia 13 de novembro de 1967. Há exatos 50 anos.
Mudou o tempo, mudaram os  símbolos e até o cotidiano que não possibilita mais usar uma joia no dedo.


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

O violão que influenciou a Bossa-Nova


Os acordes de Barney Kessel  e o canto da novata Julie London, na gravação do LP Julie Is Her Name de 1955,  fizeram Menescal  - "que violão era aquele!" disse Menescal ao contar a história - e os garotos da turma da Bossa-Nova redescobrirem o instrumento e aplicar "aquilo" na nova canção que eles estavam criando e aí... fez-se, então, a rica Bossa-Nova de acordes e harmonias excepcionais.

Ouça a faixa CRY ME A RIVER desse Lp, o primeiro na carreira de Julie London, que desencadeou tudo.




sábado, 4 de novembro de 2017

REMEXENDO NO BAÚ...o sonho de um teleférico carioca...



Mais um teleférico espetacular 
datado de 5 de novembro de 1912,
há 105 anos,

conectando os mais altos morros cariocas 
não saiu do papel.




Iria  de Copacabana até a Fábrica das Chitas, na Tijuca.

fabrica da chitas
Fábrica das Chitas

A Fábrica das Chitas foi uma manufatura na região do Andaraí, que funcionou em meados do século XIX. Apesar de ser considerada “fábrica”, sua produção não era nada complexa, pois só estampava tecidos de algodão vindos da Índia. Mesmo sem obter sucesso comercial, a Fábrica das Chitas permaneceu durante quase um século como referência do lugar.

Vale (re)ver essa história... AQUI


quarta-feira, 1 de novembro de 2017