terça-feira, 8 de junho de 2021

Programas dos cinema cariocas

 

Hoje chega a notícia de mais um cinema de rua que fecha no Rio : o CINE ROXY, em Copacabana. Um dos representantes de um tempo marcante de diversão dos cariocas.

E houve um tempo em que 
quando íamos ao cinema, 
lá estava o programa da semana.


Eram os lançamentos, os resumos, fotos dos artistas. Depois foram sumindo, até que desapareceram. 

Ficaram os exemplares de colecionadores para nos recordarem desse tempo de glamour dos cinemas cariocas. Vale esse passeio gráfico.









  












quinta-feira, 3 de junho de 2021

José Lins do Rego, 120 anos

Nesse dia 3 de junho celebramos os 120 anos de JOSÉ LINS DO REGO.

Nosso grande escritor também tem uma faceta pouco conhecida. A de grande cronista.
Publicou mais de duas mil crônicas entre 1944 e 1956. Escreveu sobre Chaplin, Buster Keaton, Walt Disney e Branca de Neve. 

O autor também manteve a coluna fixa “Conversa de lotação”, inspirada em papos que ouvia no transporte público.


PRA SABOREAR... três dessas crônicas garimpadas.


. 11 de Agosto de 1949





30 de setembro de 1948




4 de dezembro de 1948



sexta-feira, 28 de maio de 2021

O reboque do Urubu, em Copacabana



Rua Francisco Otaviano abrigava várias oficinas, entre elas a loja de Fiorindo Troisi no nº 45, telefone 279383. 

Era em frente à oficina do Gino Bianco que ficava estacionado o reboque do Urubu, antigo mecânico do Gino, até que brigaram e Urubu passou a estacionar o reboque defronte ao nº 37, logo ao lado, onde funcionava o Bar e Restaurante Igrejinha de Copacabana.

Isaias da Silva era o nome do Urubu e Pega Firme era seu fiel cão. O reboque, Soneca. 




Para chamar o reboque do Urubu se ligava para o Bar Igrejinha, telefone 27-0485.


"Urubu" e "Pega Firme" moravam juntos na boleia de um velho caminhão International. O carro tinha pneus carecas e por mais de vinte anos, caindo aos pedaços, vivia pedindo pintura - e água para o radiador não ferver. Mas, nunca deixou de atender, de dia ou à noite, as chamadas para reboque, ou trabalhos de pequena mecânica. Os fregueses eram Cadillacs e Impalas de Copacabana da Zona Sul do Rio.

Isaias da Silva  sempre vestido com o mesmo macacão sujo de graxa, a quem o carioca apelidou de Urubu, "era o dono do mais engraçado carro-reboque do Rio". Pega Firme, o amigo sincero de Urubu, era um vira-latas branco, que tempo e graxa deixaram cinzento. e lhe deram uma cor indefinível. E Soneca, o carro-reboque.

Todo mundo conhecia o Urubu, seu carro e seu cão. Muita gente sabia de cor o telefone do bar Igrejinha, em frente à TV-Rio, onde davam recados ao mecânico, que estava sempre ali pelo Posto 6, perto da boate Pigalle e da TV Rio.


O carro de Urubu é um Mercury 53, com rodas de um Dodge Dart.



"Soneca" atendia a uma média de 8 pedidos de socorro por dia e o preço de Urubu variava de acordo com a cara do freguês. Diziam que estaria rico e  até seria dono de um apartamento luxuoso.

Urubu começou trabalhando na oficina Meridional, na Rua Francisco Otaviano, onde depois foi  o bingo Arpoador. A oficina pertencia ao lendário Gino Bianco, que foi seu protetor até uma briga feia que tiveram por causa da bebida, vício maior do mecânico. E, também, Urubu também era viciado em jogo do bicho.

No seu cartão vinha escrito 

"Seu carro enguiçou? Chame o Urubu (vulgo Isaías)".








Urubu morreu de cirrose nos anos 80. 


domingo, 23 de maio de 2021

Os outros tris do Mengo... é preciso registrar!


Tri-campeão Carioca de 42-43-44


Sob a direção de Flávio Costa o Flamengo tinha em 42 a mesma base que conquistara o título três anos antes: Domingos da Guia, Canegal, Volante e Valido. Perdeu Leônidas, mas viu emergir Zizinho. 

O Flamengo estava implacável, e com um ataque fantástico, que fez 87 gols em 27 jogos

No campeonato de 43, o time teve a saída dos veteranos argentinos Volante e Valido, que se aposentaram, mas a estrutura central do time era muito parecida à do ano anterior. 
 
O Flamengo foi campeão com uma rodada de antecedência, e numa tarde fantástica,  goleou ao Vasco por 6 x 2 no Estádio de General Severiano, com dois gols de Perácio e outros dois de Pirilo, e Zizinho e Vevé.

A grande perda para a temporada de 1944 foi a saída do zagueiro Domingos da Guia, mas teve a volta da aposentadoria, só na reta final do campeonato, do atacante argentino Valido.

Flamengo e Vasco se enfrentavam na última rodada na Gávea, quando, com um gol do atacante argentino Valido, o Flamengo venceu por 1 a 0 e levou a taça.





 

Tri-campeão Carioca de 53-54-55

E chegou, então, à Gávea, em 1953, Fleitas Solich, o Feiticeiro. Logo de cara, o Feiticeiro ganhou o Carioca daquele ano. E não parou por aí.

O time que conquistou o bicampeonato em 1954 tinha Evaristo e Zagallo na equipe titular.

Em 1955, explodiu mais um craque no Flamengo: Dida. Ele foi descoberto em Maceió, durante uma excursão do time de vôlei feminino do Flamengo. Trazido ao Rio de Janeiro, passou na seleção e ingressou no futebol do clube. Despontou quando foi escalado para o lugar de Evaristo na partida decisiva contra o América: 4 a 1 Flamengo – tricampeão carioca, com quatro gols de Dida. Foi um jogo de noite.

Uma grande geração que contava com Pavão, Jodir, Dequinha, Jordan, Joel, Rubens, Paulinho, Índio, Evaristo, Esquerdinha, Zagallo e Dida - artilheiro que foi grande ídolo de infância de Zico.

O terceiro título veio na decisão contra o América, em três partidas. Na primeira, vitória de 1x0; na segunda, uma surpreendente derrota por 5x1; e, na finalíssima, o troco com goleada rubro-negra por 4x1.




Tri-campeão Carioca de 1978-1979-1979

O terceiro tri do Flamengo foi a primeira grande conquista da equipe mais vitoriosa da história do clube. Liderada por Zico, a geração de Adílio, Rondinelli, Tita e Júnior, reforçada pelos experientes Raul e Carpegiani, ganhou tudo o que foi possível - no Rio, no Brasil, na América do Sul e no Mundo.

Em 1978, o título em cima do Vasco veio com o épico gol de cabeça do zagueiro Rondinelli, o Deus da Raça, que testou com força o escanteio cobrado por Zico para bater o goleiro Leão e impedir o bicampeonato do rival. 


No incio do ano seguinte, em meio a incerteza sobre o Campeonato Brasileiro, a Federação do Rio decidiu organizar um campeonato que ficou conhecido como "Especial" - e seus dois turnos foram vencidos pelo Flamengo, de forma invicta, tendo Zico como artilheiro. 

Desta forma, 1979 teve dois campeonatos estaduais, mas apenas um campeão: o segundo torneio teve três turnos e novamente todos foram vencidos pelo Flamengo, de novo com Zico consagrando-se artilheiro.




Tri-campeão Carioca de 1999-2000-2001

A virada do século trouxe o quarto tricampeonato carioca para o Flamengo. A partir de 1999, foram três decisões consecutivas conta o Vasco que geraram histórias inesquecíveis para uma geração de rubro-negros.
No primeiro título, o Maracanã lotado assistiu o Flamengo pressionar seu adversário durante a maior parte do jogo decisivo, em uma tensão que só se aliviou quando Rodrigo Mendes cobrou falta de longa distância e viu sua bala desviar na barreira e vencer o goleiro cruzmaltino. Em 2000, depois de vencerem por 3x0 a primeira partida da final, os rubro-negros encheram as equibancadas para celebrar o bicampeonato em vitória por 2x1, gols de Reinaldo e Tuta.E, em 2001, a emoção teve seu auge aos 43 minutos do segundo tempo da partida decisiva. Após vencer o primeiro jogo das finais por 2x1, o Vasco podia perder por até um gol de diferença para garantir o campeonato. Mas uma cobrança perfeita de falta de Petkovic definiu o 3x1 que trouxe o título para a Gávea.

"Em 27 de maio de 2001,
o pé direito de Dejan Petkovic
nos fez tocar o céu com as mãos"






Tri-campeão Carioca de 2007-2008-2009


Se o Vasco foi derrotado em três finais consecutivas no quarto tri, o quinto veio com vitórias seguidas sobre o Botafogo. A sequência começou em 2007.

Renato Augusto, com uma bomba da intermediária, fez o golaço que igualou o placar na segunda partida; com o 2x2, resultado idêntico ao do primeiro jogo, a decisão foi para os pênaltis e o Flamengo saiu vencedor.

Em 2008, Obina marcou nas duas vitórias contra os alvinegros, por 1x0 e 3x1, e garantiu o bi. 

E em 2009 o tri veio com a decisão nos pênaltis.
Uma repetição da história de 2007: dois empates por 2x2 antecederam a vitória rubro-negra nos pênaltis. 

Dirigido por Cuca e tendo o zagueiro Fábio Luciano como capitão, o Flamengo não só conquistou o penta tri, mas também colocou-se como o maior vencedor da história do Campeonato Carioca, superando todos os seus rivais em número de conquistas.



O tri de 2021 em imagens

 








E a linda jogada que selou o TRI!