quarta-feira, 8 de abril de 2020

Continuando o passeio pelo choro


Ritmo carioca da gema
tem uma forma mais rápida de execução,
 o chorinho


E o instrumento que é o coração do chorinho é o CAVAQUINHO.

O baluarte desse instrumento por excelência foi Waldir Azevedo.

Foi o maior expoente do cavaquinho como compositor e como intérprete. A história do instrumento no Brasil é contada em dois períodos, antes e depois de Waldir Azevedo e se tornou um marco na indústria fonográfica brasileira tanto pelo seu enorme sucesso de vendagens quanto pelas novidades dos recursos trazidos em seus fonogramas, principalmente os apresentados durante a década de 1950. Este músico é o principal responsável pela consolidação do cavaquinho solista no Brasil, elevando o status do instrumento de mero acompanhante à categoria de concertista. 

Sua maneira original de se expressar musicalmente através do cavaquinho juntamente à força comunicativa de suas composições, o balanço e a rara instrumentação de seu Conjunto, os efeitos sonoros que criava em seu instrumento e as inovações criadas em ambiente de estúdio junto ao técnico de som Norival Reis, criaram sua identidade sonora.

. Quando emplacou seu primeiro sucesso em 1949, o Brasileirinho quebrou paradigmas em relação à forma do gênero, instrumentação, sonoridade e interpretação. Sua concepção inovadora não só se limitava à composição musical, mas também a performance ao vivo e principalmente as gravações, utilizando-se de recursos criados por ele ou em estúdio para suprir as necessidades do instrumento. Sua sonoridade única ainda é almejada pelos cavaquinistas de todo Brasil. 

Ainda hoje, o som de cavaquinho extraído por Waldir Azevedo continua sendo almejado por vários cavaquinistas e com muita dificuldade é alcançado. Algumas vezes se chega à ampla pressão sonora, mas condenando o timbre do instrumento ou distorcendo o som das cordas. 

Os sucessos das composições de Waldir Azevedo não pararam em Brasileirinho e nem Carioquinha , logo em seguida vieram Pedacinhos do Céu, Vê se Gostas, Delicado, Camondongo, Chiquita. 

Waldir estreou, no início dos anos 60, um programa na TV Tupi carioca (canal 6), denominado Sua Majestade, O Cavaquinho, às terças, 21h05, onde desfilava algumas pérolas de seu repertório e, segundo as notícias da época, mostrava coisas interessantes aos telespectadores cariocas à frente da Orquestra TV, de cerca de 20 figuras, dirigida pelo Maestro Zezinho. 

Pra saborear...






domingo, 5 de abril de 2020

E a ressaca que sempre volta...

A praia do Leblon na altura do Posto 11 sempre é a mais atingido. As águas invadem ciclovia, pistas de trânsito e chegam ao calçadão dos edifícios.




Mar invadiu calçadão e área de quisques no Leblon — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Rio - 04/04/2020 - Mar invadiu as ruas da Av. Delfim Moreira


Nenhuma descrição de foto disponível.


A imagem pode conter: montanha, atividades ao ar livre e natureza


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, oceano, quadra de basquetebol e atividades ao ar livre



quarta-feira, 1 de abril de 2020

Passeando, em abril, pelo CHORO

Nesse mês de abril, 
mês do Choro, 
vamos passear por esse ritmo tão carioca.

Pra começar, só pra saborear...






terça-feira, 31 de março de 2020

Passeando por ruas de outros tempos...

As ruas SILVA, em Ipanema.
Sabe quais são?

Remexendo no baú, vale conferir.
Clique AQUI, veja e leia mais sobre elas.


Nenhuma descrição de foto disponível.




domingo, 29 de março de 2020

Em tempos de coronavírus...

... apreciamos a cidade com outro olhar. 
Ela está mais bela: vazia e principalmente limpa.