domingo, 21 de janeiro de 2018

Essa semana tem Banda de Ipanema!



E falar em Banda de Ipanema é relembrar ...ALBINO PINHEIRO, o sempre comandante da Banda.

Resultado de imagem para albino pinheiro banda de ipanema

Fundador da Banda de Ipanema -  que abre oficialmente o carnaval carioca, tradicionalmente, dois sábados antes do sábado de Carnaval -  crítico e pesquisador de música popular foi um festeiro-mor, trazendo pra zona sul a boemia da Lapa e as tradições dos carnavais do subúrbio. Daí ser considerado como um dos mais célebres personagens da música e da vida boêmia do Rio de Janeiro

O carioca  Albino Pinheiro foi nosso vizinho ilustre de Ipanema.



Vale fazer uma dobradinha com o blog NOSSOS VIZINHOS ILUSTRES , (re)visitar e lembrar mais sobre Albino Pinheiro e seu endereço, histórias... AQUI! 

Caminhe pelos seus caminhos... e BOM PASSEIO!





sábado, 20 de janeiro de 2018

Nosso Padroeiro...


Imagem relacionada

São Sebastião, 
nosso padroeiro,
ROGAI POR NÓS!

ESTAMOS PRECISADOS!


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Aquarelas sobre o Rio



REMEXENDO NO BAÚ...

Em janeiro de 2003, há 15 anos, o projeto Aquarelas sobre o Rio, com minhas pinturas sobre locais da cidade, deram colorido e arte aos totens de calçada por toda a cidade.




Largo do Boticário, Central do Brasil, Arcos da Lapa, Outeiro da Glória e outros 15 temas.






quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

A casa especializada em vestir o carioca

    A casa do cachorrinho... grife de 1965.
 
  



sábado, 13 de janeiro de 2018

Uma capa da revista carioca Manchete...



Em 1959, quando a revista Manchete quis dar uma capa com João Gilberto, fotografado nas pedras do Arpoador, o editor Justino Martins achou por bem garantir as vendas... ... e aí achou por bem garantir as vendas colocando no quadro, muito maior, a musa do pedaço: Ira Etz, a essa altura, com 22 anos, tão emancipada e antenada (vivera em Nova York, no Greenwich Village dos beatniks) quanto linda.



Ira Etz, no alto, com seu livro nas pedras do Arpoador; acima, numa capa da antiga revista Manchete, com João Gilberto / Fotos: divulgação


Arpoador, 1959 - fotos da reportagem
Cenas das areias do Arpoador do início dos anos 60


Cenas das areias do Arpoador do início dos anos 60


Na reportagem, Ira Etz, filha de Miriam Etz, primeira mulher a usar um biquíni no Brasil, também conta do início da sua amizade com João Gilberto e das aulas de inglês que deu para o escritor Rubem Braga.

No Arpoador, os pais de muitas moças eram estrangeiros e seus costumes, liberais. Elas podiam usar biquínis menores (avistados por ali desde 1951, antes do resto do país), viajar com namorado e até pegar onda.

Filha de alemães, artistas e boêmios, que escolheram o Rio para morar (na Rua Joaquim Nabuco, em Ipanema), Ira Etz nasceu em 1937 e foi batizada com um nome bem brasileiro, Iracema. Mas a menina sardenta e loura logo viraria Ira, moleca de Ipanema, numa época em que todo mundo se conhecia e a vida era livre, leve e solta. Namorou todos os “pães” do pedaço, o mais conhecido, com quem trocou o primeiro beijo, foi Arduíno Colasanti, irmão de sua amiga Marina.

Conviveu com Tom, Vinicius, Millôr e a maioria dos intelectuais e artistas dos anos 50 e 60. E tornou-se  ícone das areias do Arpoador.





terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Um clássico do cinema falando do Rio...há 85 anos!


REMEXENDO NO BAÚ...

... vale revisitar o post que destaca 
Flying Down to Rio - Voando para o Rio , 
um clássico do cinema musical  americano,
 da RKO Pictures, lançado em  1933.

Há 85 anos!

Clique AQUI   e curta!



domingo, 7 de janeiro de 2018

Crônicas Cariocas de Todos os Tempos_Cafés do Rio

Essa crônica foi publicada em 
7 de janeiro de 1928, 
há 90 anos, 
na Revista da Semana




Clique  para ampliar e ler

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Temporada de praia...


O Rio sempre curtiu praia.
Nos anos 60 a relação com a areia era diferente e os espaços, também, bem maiores.
Deitava-se na areia em esteiras e as barracas, poucas, eram de pano.

O negócio era..."se queimar". Não se preocupava com a pele e deitava-se ao sol por horas.
Os maiôs ainda eram muito presentes e os biquinis eram duas peças, e em pano.




E nada de bum bum de fora...


Fotos: Alberto Ferreira - reprodução da internet