terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Vou pra Barra!

Continuando nosso passeio por outros tempos, que tal dar um pulo lá pelos lados da Barra da Tijuca?

Primeiro, comer churros no uruguaio, curtir o vento, a brisa que vem direto do mar; dar um pulinho na Igreja de São Francisco de Paula,na praça Euvaldo Lodi - ver as areias e dunas - depois atravessar a imensidão de terrenos baldios até o cebolão...

Se curtir esportes radicais, vale assistir ao rally na Olegário Maciel...

Anos 60... tão perto, tão longe!






( Agradecimentos à amiga Fatima Barbosa pelo envio das fotos)

2 comentários:

  1. Ah, amiga, teu blog sempre arrasa. Adoro fotos e ainda mais, as entigas. Obggggggggg
    Beijocasss

    ResponderExcluir
  2. Conheci a Barra da Tijuca nos anos 50. A empresa de engenharia de meu pai fora contratada para fazer as instalações eletro-hidráulicas do Bar Bem (também Boite), em São Conrado. Íamos (meus pais, eu lá pelos sete anos de idade e outros parentes) até lá, pela Niemeyer, quer para vistoriar a obra, quer para comermos milho cozido, churrasquinho e pamonha nos quiosques ali existentes. Dali prosseguíamos para a Barra, pela Estrada do Joá, onde ficava a famosa boite de mesmo nome. Isso ocorria em geral aos sábados à tarde. Em domingos,íamos direto à Barra, pelo Alto da Boa Vista / Estrada das Furnas. Geralmente era um grupo grande da família, em mais de um carro. Passávamos o dia naquela imensidão - geralmente ali no começo, onde ficava o Dinabar, com seu muro de pedra, que servia excelentes camarões VG fritos ao alho e óleo. Mas às vezes nos dirigíamos ao Pontal, 18 km à frente, ou parávamos no Canal, onde um de meus tios de vez em quando gostava de caçar jacarés.
    Havia um Bar / Boite por nome Corsário, na esquina da Praça do Ó ciom a Praia, onde depois funcionou o Flamingo - tudo foi abaixo, hoje existe ali um prédio de luxo.
    Nos anos 60, já dirigindo o Simca 61 que meu pai me emprestava, pintei e bordei por aquelas bandas. Idem nos anos 70, com outros carros que tive, inclusive um famoso Alfa Romeo 75 Azul Ipanema - a glória !
    Grandes lembranças: boites Avião, Le Ribleur, Palhota, Piscina...Bar do oswaldo, maracujina, reza Forte...Motéis: Elmo, Playboy, Dunas, La Cache, Praia Linda, Xá Xá Xá, Scorpion, Papillon, Serramar...E o famosíssimo Drive-in da Estrada do Joá, ao lado da Boite Casino Royale...Ah, minhas três grandes paixões: o CONVÉS (bar, restaurante e boite, na altura do Pepê - inesquecível, freqüentei-o amiúde, mudou de nome para Sappore di Sale, seu grande Maitre Palomares foi para outro lugar além do Recreio, teve um AVC e faleceu); ÃNCORA - sensacional, lá no Pontal, comida espanhola. E o TARANTELLA, um pouco à frente do Convés, a melhor pizza do Rio - "la vera pizza napolitana" - servida em pratos de madeira...
    Éééé....Grande Barra da Tijuca...Bons tempos que não voltam mais....

    ResponderExcluir

Comente! Seja bem-vindo!