terça-feira, 3 de julho de 2012

O primeiro FLA-FLU

O Fla-Flu, considerado o clássico mais charmoso do Brasil, completa 100 anos no dia 7 de julho.



É uma história que resiste ao tempo, que acumula causos, que desemboca no imaginário de novos torcedores. E que começa nas Laranjeiras, diante da percepção de poucos homens, sem a atenção dos jornais da época, como se fosse uma partida qualquer.
Não era.

Nove jogadores se rebelaram no Fluminense e decidiram sugerir a outro clube da cidade, o Flamengo, que passasse a ter um time de futebol. Foi na pensão da Rua Almeida, no quarto de Píndaro - um dos 9 - pertinho das Laranjeiras, que os rebeldes decidiram deixar o Fluminense.


Píndaro era um sujeito tímido, recluso, que não gostava de falar sobre seus feitos em campo. Apelidado de "Gigante de Pedra", era um zagueiro firme. Virou médico. Fora dos campos, pouco mencionou o Fla-Flu de 1912, como se não tivesse noção de quão histórica era aquela partida.


 O processo da debandada foi capitaneado por Borgerth, que levou ao Flamengo a sugestão da criação do time de futebol em um clube até então especializado em remo.  Não tinha ideia de que estava iniciando a formação da maior torcida do Brasil.


"Há um parentesco óbvio
entre o Fluminense e o Flamengo. 
E como este se gerou
no ressentimento, 
eu diria que os dois
são os irmão Karamazov 
do futebol brasileiro"

Nelson Rodrigues

Foi por um incômodo com os rumos do time do Fluminense que os nove jogadores debandaram para o Flamengo.




O jornal "O Paiz" foi dos que mais destacaram o jogo. Deu uma coluna para ele. No texto, o periódico lembra que o Flamengo era favorito ao observar que

 "o resultado do campo da Rua Guanabara não foi absolutamente presagiado por nenhum amador do violento sport".

A publicação não esquece a origem do Flamengo:

 "É natural; todos os leitores sabem perfeitamente que a constituição de tão formidável equipe foi resultado de uma desavença entre antigos conxosocios do mesmo centro, e que a parte refractaria, reunida a outros 'dissidentes', fizeram nascer o Flamengo."

O jornal diz ainda que o "meeting" entre os "teams" foi visto por

 "numerosa, selecta e expansiva assistencia".

Entre os diários que noticiaram o jogo (o "Correio da Manhã", por exemplo, o ignorou por completo), ficou evidente o assombro com a vitória do Fluminense. "O jogo ficou aquém da expectativa, podendo-se considerar o seu resultado como uma sorpresa", escreveu o "Jornal do Commercio". Já o "Gazeta de Notícias" classificou o encontro como "dos melhores a que temos assistido".

No primeiro FLA-FLU   deu 3 a 2 pro Fluminense, embora o favoritismo do Flamengo.


Há quem pense, e é o caso de Nelson Rodrigues, que a história do Fla-Flu seria radicalmente diferente se o Flamengo tivesse comprovado seu favoritismo e vencido aquele jogo. A rivalidade, entende o cronista, não seria a mesma. Ele disse:

- Vejam como, histórica e psicologicamente, esse primeiro resultado seria decisivo. Se o Flamengo tivesse ganho, a rivalidade morreria, ali, de estalo. Mas a vitória tricolor gravou-se na carne e na alma flamengas. E sempre que os dois se encontram é como se o fizessem pela primeira vez.


(fonte: Globo Esporte.com)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!