sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Como o Rio tem mudado nos últimos anos!

Essa é a frase que disse
o escritor Luis Martins, em 1948, 
quando escreveu a observação curiosa - abaixo -
sobre o Rio de Janeiro:



"Como o Rio tem mudado nos últimos anos! 

Pode-se quase dizer que Copacabana vai aos poucos matando o Rio. 

Porque Copacabana pouco ou nada tem a ver com o Rio. 

Copacabana é alegre, é luminosa, é turística, cosmopolita, vitaminada, esportiva e incontestavelmente bela.

Mas não é o Rio. 

O Rio é a velha cidade imperial das ruas mal calçadas que os crepúsculos se iluminavam a bico de gás. Soa os becos estreitos e sinuosos, com recordações coloniais apontando a cada passo. 

É a evocação persistente e viva dos romances de Macedo, da música de Nazareth, das serenatas boêmias dos bairros sossegados dos subúrbios tristonhos, em noites profundamente quietas de misterioso luar... 

O Rio é a rua da Misericórdia, a praça da Bandeira, o Catete, o largo do Machado, a Tijuca, Vila Isabel, Flamengo, Laranjeiras, Andaraí, Engenho Novo. 

O Rio é a Lapa."
(trecho de Noturno da Lapa)
                          

Em 1957,  entrevistado para o Correio da Manhã, lhe perguntaram se, longe, tinha saudades do Rio, respondeu:

" Não . Tenho muitas saudades do Rio quando estou no Rio.


****** 

Pra pensar! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!