quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Saudades de Pedrinho Mattar!

Há dois anos fui surpreendida pela notícia da partida do pianista ímpar, do gentil amigo.

Músico de primeira linha, apesar de não ser carioca tinha muita paixão por essa cidade, onde construiu com o seu piano, muitos shows clássicos da Bossa Nova, do seu início.

Na famosa boate João Sebastião Bar, importante palco da MPB em São Paulo de tempos atrás, fez muito sucesso ao lado de Taiguara, Marisa Gata Mansa, Chico Buarque, entre outros. Também em terras paulistas, foi no bar Baiúca, nos anos 60 , que conheceu Claudete Soares, com quem trabalhou durante dez anos e estrelou o antológico show Fica combinado assim, em 1971, no Teatro Princesa Isabel, ali na rua de mesmo nome, no bairro carioca do Leme.

Rodou mundo com seu piano e companheiros de música. Apresentou-se com Maysa em Portugal e na Espanha, com Leny Eversong em Las Vegas, com Agostinho dos Santos, no Uruguai e Argentina, com Raul Solnado pela Venezuela e com Cauby Peixoto, pela Argentina.

Hoje dia 20 de agosto, o RIO QUE MORA NO MAR rememora sua data de nascimento reproduzindo todo o seu maravilhoso " piano de muitas notas", como ele costumava defini-lo.

Ultimamente tinha inventado uma novidade sensacional: um programa de TV - Pianíssimo - onde tocava, com o seu talento eclético, músicas pedidas por cartas,e-mails, na Rede Vida, canal a cabo. Fazia lembrar outro delicioso programa da antiga Rádio Eldorado, Um piano ao cair da tarde. Recordam?

Era uma delícia!

Clique e saboreie um dos momentos mágicos desse programa!


SAUDADES DE PEDRINHO MATTAR!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!