domingo, 7 de março de 2010

DNA do carioca da gema é ...

Quem adivinha?

O que revela uma pesquisa inédita realizada pelo Laboratório de Diagnósticos por DNA da Universidade do Estado do Rio (Uerj) é que o carioca tem um pé na Europa.
Não foi só nos costumes que nossos colonizadores deixaram sua marca. A herança portuguesa está registrada também na genética de 90% dos moradores do Rio de Janeiro.
Mesmo entre negros, a origem europeia é maioria. A presença dos antepassados europeus é dominante em 56% dos indivíduos.
O estudo, coordenado pelo biólogo Elizeu Fagundes de Carvalho, identificou a origem do gene presente na população carioca e descobriu que as características físicas e biológicas, passadas de pai para filho, geração após geração, estão mais próximas dos europeus do que dos africanos ou indígenas.
Uma volta ao passado permite decifrar as razões da supremacia dos patrícios na genética carioca. Segundo o historiador Nireu Cavalcanti, no período colonial era comum que senhores brancos tivessem filhos com esposas, negras e índias. “As escapadas sexuais eram aceitas culturalmente. Afinal, ele deti-nha o poder financeiro. Quando nascia uma criança do branco com a escrava, a própria senhora criava. Já o negro não tinha a mesma liberdade para se relacionar com a branca”, explica Cavalcanti.
Assim, os genes europeus foram sendo passados ao longo dos anos.
O Laboratório de Diagnóstico por DNA da Uerj se tornou um dos mais importantes centros de referência no País. Ali são feitos todos os testes de paternidade determinados pela Justiça. Por ano, são realizados 6.500 exames. Foi justamente através dessas amostras que surgiu a pesquisa.
Então, a genética dos moradores do Rio é : 90% portuguesa, 8% africana e 2% indígena.

Parodiando a música... é um carioca português com certeza... com certeza um carioca português!
Pois, pois.

(Fonte: O Dia Online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!