sábado, 17 de novembro de 2012

BOSSA NOVA no Carnegie Hall... há 50 anos

 Numa quarta-feira, a Bossa Nova era apresentada ao mundo. 


A data, 21 de novembro de 1962.

Carnegie Hall, Nova York,  20:30hs,era o que o relógio marcava quando uns meninos subiam ao palco para mostrar um tal balançado da New Brazilian Jazz como os americanos gostavam de dizer. 






 Tom ao piano, João GIlberto ao violão


Quem eram estes meninos? 

Ninguém menos do que Oscar Castro NevesSérgio MendesRoberto Menescal,Carlinhos LyraChico FeitosaMilton BananaSérgio Ricardo,Normando SantosDom Um RomãoLuiz BonfáAgostinho dos SantosJoão Gilberto e Antonio Carlos Jobim que à época já era famoso nos Estados Unidos como o compositor de “Desafinado”. 

O fino da bossa que ali estava tinha a missão de provar que o Brasil era capaz de produzir música sem pandeiro.

Mas essa noite da Bossa Nova não foi só sucesso. Teve muita confusão. A começar pela escolha do elenco. 


Muita gente boa ficou de fora, como João Donato e Johnny Alf; alguns  bateram o pé alegando que Bossa Nova não se misturava com passistas e ritmistas,que estavam não se sabe porque no meio do grupo. 

Também a imprensa brasileira fez pouco caso da apresentação e foi muito cruel nas suas piadas. O fato é que era esperado um verdadeiro desastre na apresentação dos brasileiros, coisa que preocupava principalmente Tom Jobim, João Gilberto e Luiz Bonfá, nomes que já corriam por bocas estrangeiras. Tanto é verdade que Tom Jobim só embarcou depois de ser enfiado à força dentro de um avião pelo amigo cronista Fernando Sabino: “Você vai vencer, Tom”.

Muitos deslizes aconteceram de verdade, como Normando Santos cantando com o microfone desligado, Roberto Menescal escorregando na letra de “O barquinho” e o próprio Tom pedindo um minutinho para recomeçar “Corcovado”. A tragédia pessoal não aconteceu pois “Corcovado” entrou nos eixos, e ele cantou a letra toda, em português e inglês, e aí a platéia só faltou se jogar aos seus pés.

 E é válido ressaltar que na distinta platéia estavam Tony BennettDizzy GillespieMiles DavisGerry MulliganHerbie Mann entre outros que também queriam escutar de perto o violão de João Gilberto. Por isso, este foi o escolhido para encerrar o concerto deixando Sérgio Mendes responsável pela abertura.



Clique nos recortes e leia em tamanho grande


Ibrahim Sued escreveu...




A partir desta noite, a vida da Bossa Nova mudou

 completamente. E, claro, a música brasileira. 


Um dos pontos mais altos no espetáculo de Bossa Nova no Carnegie Hall, em 21 de novembro de 1962, foi a apresentação de Luiz Bonfá ao violão e Agostinho dos Santos cantando Manhã de Carnaval. Bonfá lembra que Agostinho, muito nervoso, abordou-o pouco antes do show começar e pediu para cantar junto. Bonfá, muito sem jeito, disse que não, já o que estava combinado era que ele faria apenas um solo com o violão. Agostinho não desistiu: “Não tem importância, você modula que depois eu entro …”. Depois de muita insistência, Bonfá cedeu: combinaram que ele faria primeiro uma introdução instrumental e depois anunciaria Agostinho. Mas quando o violonista começou a tocar, os aplausos abafaram o som. Agostinho dos Santos e Luis Bonfá foram responsáveis pelo maior aplauso cantando e tocando temas de "Orfeu Negro" - Palma de Ouro em Cannes.


O LP que registrou essa grande noite apresenta



Sergio Mendes e Sexteto
Carmem Costa
Bola Sete
Jose Paulo
Sergio Ricardo
Quarteto de Oscar Castro Neves
Luiz Bonfa
Agostinho dos Santos
Joao Gilberto
Milton Banana
Carlos Lyra
Ana Lucia
Caetano Zamma
Normando
Chico Feitosa




Faixas:

01 - Samba de Uma Nota Só - Sergio Mendes e Sexteto
02 - Bossa Nova York - Carmen Costa, Bola Sete & José Paulo
03 - Zelão - Sergio Ricardo
04 - Não Faz Assim - Quarteto de Oscar Castro Neves
05 - Influência do Jazz - Quarteto de Oscar Castro Neves

06 - Manhã de Carnaval - Luis Bonfá
07 - Manhã de Carnaval II - Luis Bonfá, Agostinho dos Santos; Quarteto de Oscar Castro Neves
08 - A Felicidade - Luis Bonfá, Agostinho dos Santos ; Quarteto de Oscar Castro Neves
09 - Outra Vez - João Gilberto ; Milton Bana
10 - Influência do Jazz - Carlos Lyra ;Quarteto de Oscar Castro Neves
11 - Ah Se Eu Pudesse - Ana Lucia ; Quarteto de Oscar Castro Neves
12 - Bossa Nova Em Nova York - Caetano Zamma; Quarteto de Oscar Castro Neves
13 - Barquinho - Roberto Menescal ; Quarteto de Oscar Castro Neves
14 - Amor no Samba - Normando ; Quarteto de Oscar Castro Neves
15 - Passarinho - Chico Feitosa ; Quarteto de Oscar Castro Neves




Ouça a faixa 5




Uma curiosidade sobre a Bossa Nova que vale a pena recordar:

 Jairo Leão, pai de Nara, contou que o poeta Manuel Bandeira, seu grande amigo, foi um dos primeiros intelectuais a enxergar revolução naqueles violões juvenis, quando disse que

 "a urbanização fará surgir uma nova música.
Nos prédios de Copacabana, as moças não podem ouvir serenatas."

ACERTOU!  




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!