terça-feira, 11 de junho de 2013

Rio de Janeiro em 1963, há 50 anos

No Rio de Janeiro de 1963, há 50 anos atrás, a cidade vivia outros ares.
Era o Estado da Guanabara.


Novidades na arquitetura e no urbanismo, com o novo aterro do Flamengo em construção, novos prédios surgindo, traçando uma nova paisagem.

Andávamos em bondes e muitos faziam ponto no Tabuleiro da Baiana.

A música, produtos, novidades, davam um novo ar.

A Nestlé, em março de 1963, lançava  na Seleções (Reader´s Digest ) o anúncio do Leite Ninho, o recomendado para a família e começava a formar uma legião de consumidores do leite em pó.


A Miss Guanabara -  que chegou a Miss Brasil Mundo -   foi uma das "veras", Vera Lúcia Maia, filha da cantora Nora Nei.

O Flamengo foi campeão de terra e mar!

Segundo Nélson Rodrigues, um dos maiores cronistas esportivos da história, 

"os vivos saíram de suas casas e os mortos de suas tumbas, para assistir ao maior Fla x Flu de todos os tempos".

 As palavras, escritas em sua coluna no Jornal O Globo, descreveram bem o sentimento das quase 200 mil pessoas presentes ao Maracanã naquela decisão de Campeonato Carioca.
Em 15 de dezembro de 1963, no encontro do returno entre Fluminense e Flamengo, o estádio acolheu o maior público já verificado em jogos entre dois clubes no mundo -  as bilheterias registraram 177.656 pagantes -  para verem  Marcial, Murilo, Luís Carlos, Ananias, Paulo Henrique, Carlinhos, Nelsinho, Espanhol, Airton, Geraldo e Oswaldo vencerem, ( apesar do 0x0 ), Castilho, Carlos Alberto Torres, Procópio, Dari e Altair. Oldair e Joaquinzinho, Edinho, Manoel, Evaldo e Escurinho. 
A primeira-dama era Maria Tereza Goulart, que desfilava, pela cidade, sua elegância.

O luxo era ter um ... AERO WILLYS!

Leni Andrade já nos mostrava seu bom gosto musical e sua bossa nas suas gravações de Samba do Avião (Tom Jobim), A Morte de Um Deus de Sal (Roberto Menescal / Ronaldo Bôscoli), Baiãozinho (Eumir Deodato). Formado por Antonio Adolfo, o argentino "Cacho" e Nelson, o Trio 3D foi um dos pioneiros a testar a fantástica mistura entre bossa nova, samba e jazz,  para a época um marco na sofisticação e criatividade. O Rei Roberto Carlos já trilhava sua majestade. Os Cariocas lançavam, em disco, O Telefone e Ela é Carioca.

Na política, o parlamentarismo caía, a Lei de Diretrizes e Bases dava o caminho.

 A garotada se divertia com as ingênuas trapalhadas do Bolinha e da Luluzinha e as fotonovelas -  ah... Grand Hotel!... - faziam os corações se derreterem nas melosas aventuras românticas em quadrinhos.

Algumas coisas que formavam a paisagem e o dia a dia da cidade do Rio há meio século.

PARECE QUE FOI ONTEM!
















     

 

   

   







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!