terça-feira, 24 de setembro de 2019

Houve um Bar Jangadeiro...

 Ontem falamos sobre a origem do nome da Rua Jangadeiros.
Hoje uma pincelada sobre um bar nas proximidades: o Bar Jangadeiro.

Artistas inesquecíveis, na década de 1950, batiam ponto nas dependências do Bar Rhenânia  inaugurado em 1935 na Visconde de Pirajá  80, ao lado do antigo Cinema Ipanema, em frente ao Chafariz das Saracuras, na Praça General Osório.

Após a declaração de Guerra ao Eixo pelo Brasil de Vargas esse bar mudaria de nome - pois durante a 2ª Guerra Mundial foi apedrejado -  para Bar Jangadeiro - pela proximidade com a rua que quase lhe fazia esquina, a  Rua Jangadeiros.

Era um restaurante simples, com cadeiras de palha e piso de ladrilhos. Em 1950 Fleischer passou o bar para a sua filha Christina e ao genro e uma nova geração de boêmios começou a se formar na década de 50. Eram nomes do porte de Rubem Braga, vizinho ali da área, Gláucio GilMillor FernandesFernando Sabino, Vinicius de Moraes e Tônia Carrero,  a Mariinha, musa do grupo.
O Bar Jangadeiro no final dos anos 50 era o que possuía a maior serpentina de chope do Rio, daí ter se tornado o point da zona sul.
O bar com suas cadeiras de madeira, algumas de armar tinha “Seu” Victor - Victor Fleischer - , um austríaco, comandando a caixa, depois de ter comprado o bar de seu fundador, o alemão Müller, em 1938.

Mas além dos personagens das letras e dos palcos estavam sempre ali no Bar Jangadeiro a turma do Beco das Garrafas, a chamada Turma da Bossa nova de Ipanema como Roberto Menescal, Carlinhos Lyra, Tom Jobim, Joaquim Pedro de Andrade e Vinicius de Moraes.
Resultado de imagem para Yolhesman CrisbelesNa segunda metade dos anos 60, “uma banda onde os músicos podem não saber tocar o seu próprio instrumento", trazendo à frente uma faixa – Yolhesman Crisbeles - saía do Bar Jangadeiro percorrendo as ruas do bairro, fazendo evoluções no Castelinho, dando ligeira parada no Veloso (Rua Montenegro), chegando até a Praça N.S. da Paz e voltando para o Bar Jangadeiro. Era a Banda de Ipanema. Assim o bar foi a "sede" inicial da Banda de Ipanema.
Em 1971, a especulação imobiliária forçou-o a se mudar para a Rua Teixeira de Melo nº 20, onde sobreviveu até 1985. Depois ainda se mudou para o nº 53 até fechar em 1995.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!