quarta-feira, 19 de maio de 2010

Luis Carlos Vinhas

Ele faria hoje 70 anos.

Carioca, um dos grandes expoentes da Bossa Nova, formou com Tião Neto (baixo) e Edison Machado (bateria), um dos primeiros conjuntos instrumentais desse tempo: o antológico Bossa Três.

Sua rica trajetória como músico percorreu o Beco das Garrafas, participações em discos de grandes nomes como Elis Regina, Quarteto em Cy, Jorge Benjor e Maria Bethania, entre outros, viagens ao exterior para mostrar nossa MPB, como a para os Estados Unidos em 1962, em que se apresentou no programa de Ed Sullivan e gravou três LPs, lançados pela Audio Fidelity em Nova York.

Tinha forma única de tocar, de muitas notas, ligeiras, que passava um som forte, ímpar, que vale a pena recordar , sempre.

Outro dia, no post Domingo Azul, falei do meu primeiro compacto, d´Os Cariocas. O meu primeiro LP foi o do Bossa Três, num encontro com Pery Ribeiro. Inesquecível, maravilhoso!



Do LP Luis Carlos Vinhas e Emilio Santiago, ao Vivo, de 1974,


as faixas Muito a Vontade e Só Lágrimas ( reprodução /RIO EM DISCO)






VIVAS A LUIS CARLOS VINHAS!

2 comentários:

  1. Luiz Carlos era um dos meus melhores amigos; era um pianista de mao cheia e um homem maravilhoso... que pena que se foi tao cedo... Viva o Vinhas!!

    ResponderExcluir
  2. Rio que mora no mar22 de maio de 2010 08:37

    Oh... Anônimo que privilégio o seu!
    Realmente, se foi muito cedo, e nos privou de muitas maravilhas mais no seu piano.

    Abs,
    Elizabeth

    ResponderExcluir

Comente! Seja bem-vindo!