segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Dia do Comércio... a história no Rio


Hoje é meio feriado no Rio. Dia do Comércio. 


O comércio do Rio sempre foi empreendedor e despontou como inovador e  lançador de produtos, serviços, moda e modismos.

Interessante livroImpressões do Brazil no Seculo Vinte, editada em 1913 e impresso na Inglaterra por Lloyd's Greater Britain Publishing Company, Ltd., com 1.080 páginas, nos revela um panorama do comércio carioca de então.

Aqui destacamos um trecho que nos fala de um expoente de então, a Alfaiataria Almeida Rabello,  na rua Uruguaiana, cujo proprietário Luiz Almeida Rabello é destaque no
Almanak Administrativo, Mercantil e Industrial do Rio de Janeiro - 1891 a 1940 





"Almeida Rabello  

Esta firma individual, proprietária duma das principais alfaiatarias do Rio de Janeiro, foi fundada em 1885 com o título acima. O estabelecimento, que principiou em pequena escala, foi se desenvolvendo continuamente e hoje ocupa 7 cortadores, que trabalham sob a direção do proprietário, e 80 alfaiates em suas oficinas, dando ainda trabalho para fora a cerca de 100 pessoas.Produz mensalmente cerca de 700 peças de roupa, distribuídas entre a sua vasta freguesia, que abrange o presidente da República, os ministros e homens da mais alta posição no Brasil.O sr. Almeida Rabello acaba de inaugurar uma sucursal do seu estabelecimento para a venda de chapéus, camisas e roupa branca para homem, tudo importado dos mais afamados centros da Europa, o que também se dá com toda a sorte de fazendas e material diverso em uso na sua alfaiataria, que são recebidos diretamente das manufaturas. O estabelecimento fica situado no centro da cidade, num magnífico edifício de quatro andares, de construção moderna e bela arquitetura, propriedade do sr. Almeida Rabello.

Clique na imagem para ampliá-la 
O sr. Almeida Rabello nasceu em Vizeu, Beira Alta, Portugal, em 1863. Veio para o Brasil em 1880, e esteve empregado nas principais alfaiatarias do Rio de Janeiro até 1885, ano em que, como dissemos, fundou o seu estabelecimento. O sr. Almeida Rabello superintende e dirige a sua casa comercial. Além do edifício em que funciona esse estabelecimento, possui sete propriedades diversas. É sócio benemérito da Sociedade de Beneficência Portuguesa, do Gabinete Português de Leitura, da Caixa de Socorros D. Pedro V, da Irmandade da Candelária etc."

"Começa por elegantizar-se a si próprio,
 trocando a tesoura de uma modesta alfaiataria, no Méier,
 que é a que Viriato Correia lhe corta as roupas, 
pela do Almeida Rabelo,
grande Alfaiate, à rua do Ouvidor..."  
 

        Luiz Edmundo, em Rio de Janeiro do Meu Tempo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!