terça-feira, 6 de agosto de 2013

Hotel Copacabana Palace, 90 anos

 Avenida Atlântica, 1702, bairro de Copacabana, Rio de Janeiro. 

Esse é o endereço do Hotel Copacabana Palace que está completando 90 anos.



Aberto ao público em 13 de agosto de 1923, foi construído pelo empresário Octávio Guinle e Francisco Castro Silva entre 1919 e 1923, atendendo a uma solicitação do então presidente Epitácio Pessoa, que desejava um grande hotel de turismo na então capital do país, para ajudar a hospedar os visitantes esperados para a  Exposição do Centenário da Independência do Brasil, em 1922. Em compensação, o Governo Federal concederia incentivos fiscais, assim como a licença para que nele funcionasse um cassino — uma exigência do empresário.

O hotel foi o primeiro grande edifício em Copacabana, cercado apenas por pequenas casas e mansões.

o Copacabana Palace em  cartão postal




O projeto do arquiteto francês Joseph Gire se inspirou em dois famosos hotéis da Riviera Francesa: o Negresco, em Nice, e o Carlton, em Cannes. A estrutura, sóbria e imponente, foi erguida pelo engenheiro César Melo e Cunha, que empregou, em larga escala, o mármore de Carrara e cristais da Boêmia.

Devido às dificuldades  na importação de mármores e cristais, na execução das suas fundações (com catorze metros de profundidade, conforme exigido pelo projeto); à falta de tecnologia e experiência no país para tal confecção; e a uma violenta ressaca que, em 1922, destruiu a Avenida Atlântica, causando danos aos pavimentos inferiores do hotel, o hotel só foi inaugurado quase um ano após a Exposição do Centenário. 

Mas inaugurou em grande estilo, com a presença da cantora, atriz e vedete francesa Mistinguett, que, mesmo tendo as famosas “mais belas pernas do mundo”, foi proibida de mostrá-las na festa. 

O atraso fez com que o presidente Artur Bernardes tentasse cassar a licença para o funcionamento do cassino , o que a família Guinle, após dez anos de disputa na justiça, ganhou a causa. O hotel e seu cassino foram essenciais para a consolidação da fama e glamour do bairro nas décadas seguintes.

o glamour de um dos seus salões

anos 20, no tempo do desenho invertido das ondas das calçadas


Em 1934, foi construída a piscina do hotel, com projeto do engenheiro César Melo e Cunha, ampliada em 1949. Em 1938, inaugurou-se o “Golden Room”, com um espetáculo de Maurice Chevalier.

A piscina ontem e hoje
 

A visita de celebridades internacionais

  Brigitte Bardot  em 1963, há 50 anos

o famoso Baile de Debutantes


testemunha das ressacas

Ressaca de 1922



Com a proibição do jogo no país, o cassino foi transformado em uma casa de espetáculos, e o hotel passou por uma ampla reforma,surgindo a pérgula lateral e o anexo nos fundos, inaugurado em 1949. Tal reforma ficou ao cargo do arquiteto Wladimir Alves de Sousa.

Em 1985, projetou-se a sua demolição. No entanto, o Copacabana Palace foi tombado pelo patrimônio histórico. No final da década de 80 foi vendido ao grupo Orient-Express Hotels, que o modernizou sem descaracterizá-lo.

Curiosidades:
  • O hotel serviu de tema para o musical “Flying Down to Rio”, de 1933. Veja AQUI.
  • O genial Mario Reis foi seu morador durante anos. Morou na suíte 140 do Copacabana Palace, de 1957 até sua morte.
    Intérprete revolucionário e considerado o inventor do canto brasileiro, nos anos 30, em 1971, fez um retorno à cena e três shows no Golden Room do Copacabana Palace.


Mário Reis durante o show no Golden Room


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!