sexta-feira, 22 de abril de 2016

Avenida Niemeyer, Gruta da Imprensa

O lastimável desabamento, ontem,
da ciclovia da Avenida Niemeyer,
nos revela a bela e  segura engenharia centenária do local.



A Avenida Niemeyer foi inaugurada em 1916. Há 100 anos. Fará em outubro. Seu nome é uma homenagem ao Comendador Conrado Jacob de Niemeyer.

O comendador  Niemeyer (dono de grande extensão de terras na região, chegando até a Estrada das Canoas, e o próprio bairro de São Conrado) , em 1915, doou as terras da encosta à Prefeitura - visando a valorização das suas terras -  para que pudesse ser estendida, até a Praia da Gávea -  nome antigo do atual bairro de São Conrado - , uma estrada que partiria do final do Leblon.

O traçado da futura Avenida começou com o projeto para uma estrada de Ferro em 1891 (Cia. Viação Férrea Sapucaí), que por ali faria a ligação de Botafogo a Angra dos Reis. Chegou a ter seus 800 metros iniciados construídos em 1913, porém, a companhia desistiu do empreendimento, por novas exigências da Prefeitura.


construção da avenida Niemeyer

Na entrada do Túnel da Barra existe, até os dias atuais, um grande túnel cavado na rocha, parte integrante da estrada de ferro que seria construída. A entrada do túnel, atualmente, está lacrada com uma grade de ferro para evitar invasões.


Em 1920, quatro anos após a inauguração, a Avenida sofreu uma grande reforma, foi alargada, sendo praticamente reinaugurada por causa da visita do Rei Alberto da Bélgica  e o projeto do engenheiro Paulo de Frontin.
O viaduto que  retificava uma curva
sob uma antiga reentrância no costão do Morro Dois Irmãos
homenageia o ilustre visitante: Viaduto Rei Alberto,
nome hoje praticamente esquecido

andredecourt's foto van 4-12-06
foto Augusto Malta, setembro 1920 -  reprodução


Ao longo do tempo a Avenida foi ganhando melhoramentos, como

Carlos Sampaio,  entre 1920 e 22, colocou nela acostamento.

.  Alaôr Prata, entre 1922 e 1926, abriu ali o Circuito da Gávea  - corridas automobilísticas de rua, fazendo parte do circuito do Rio de Janeiro a partir de 1933 e  que só acabaram em 1954.
Nessas corridas as largadas se davam próximo do antigo Hotel Leblon, passavam pela Gruta da Imprensa, seguiam a Rocinha, voltando pela Rua Marquês de São Vicente.

Na altura do Viaduto Rei Alberto foi inaugurada a Gruta da Imprensa, assim chamada pois ali ficavam diversos repórteres para tirar fotos das corridas. 







A visita do Rei, além de turismo nos trópicos tinha a missão de explorar o potencial brasileiro para a aplicação dos recursos financeiros belgas.

Os mirantes construídos na via logo atraíram a nova burguesia motorizada da cidade para a realização de piqueniques na deserta e aprazível via, a aproveitando esse potencial a administração Alaor Prata (1922-1926) urbanizou a área aos pés do viaduto, criando um novo mirante que rapidamente entrou na moda, piqueniques em seus terraços foram muito comuns até o fim dos anos 40, quando esse tipo de evento começou a sair de moda.

O local começou a ficar esquecido e ser frequentado mais por pescadores do que veranistas e seus quitutes, de turismo apenas rápidas passagens para fotografias. Também crimes no local, que ganharam manchetes, ajudaram a esvaziar ainda mais o local.

 A nova ciclovia de 3 meses desabou. A construção centenária continua lá. De pé. Pra nos contar uma história.





2 comentários:

  1. Parabéns. Belas fotos e atualizando

    ResponderExcluir
  2. Caaara!!! Muitíííssimo obrigado. Sou filho da Rocinha, nascido e criado ali, na rua 4 casa 301. Aparado (em dez/1943) pela parteira, querida Vó Ernestina que, hoje já deve estar morando com nosso pai eterno, sob a luz da sua face e do seu olhar, junto com meus pais. Tudo que li foi novidade para mim, exceto as corridas de"baratinhas"[O circuito era:LEBLON HOTEL (em inglês), av. NIEMEYER, contornando o morro Dois-Irmãos entre este e o mar até a praia da Gávea, CONTINUANDO o contorno entre o morro e a lagoinha,(hoje totalmente aterrada, restou um canal até o mar). ATÉ A ESTRADA DA GÁVEA (onde muito mais tarde foi construída a antiga Praça Almirante Saldanha da Gama, frente a qual foi erigida a primeira escola Almirante Tamandaré, depois transferida para Estrada do Tambá no Vidigal, na mesma praça, lado oposto a escola, tínhamos uma Hípica, mais tarde garagem de ônibus. Aquela praça é hoje conhecida ou nominada Largo da macumba e, o nosso Ilustre brasileiro é, merecidamente homenageado em outra praça ali, no Jardim de Alá). Dali SUBIA A ESTRADA DA GÁVEA (pista em concreto armada), descendo ao lado oposto até a RUA MARQUÊS DE SÃO VICENTE(pista em pedra trabalhada/paralelepípedo), no "Rodo do bonde" (ponto final e rotatória do bonde/linha 10, Tabuleiro da Baiana Largo da Carioca/Gávea), seguindo pela Marquês até a praça SANTOS DUMONT e desta, beirando o canal (Av.? perdão, esqueci o nome) até o HOTEL LEBLON].
    Obrigado pelo ensino que me proporcionou sobre, parte do lugar em que nasci/fui criado. Espero que minhas recordações de infância também venham colaborar com seu BLOG, Aproveite e consulte sobre Raymundo Coelho do Gávea Golf ele e Alípio Coelho (seu irmão) dedicaram a vida ao golf no Brasil, aquele no Gávea e este no Itanhangá.

    ResponderExcluir

Comente! Seja bem-vindo!