domingo, 10 de maio de 2009

Às mães

Minha mãe adorava poesia. E assim, ainda pequena, comecei a estudar declamação. Poucas pessoas sabem o que é isso nos dias de hoje.

Nem sei se ainda existem cursos. Nos anos 50, 60, reinava o método Maria Sabina. Autora de livros de poesias, de contos e biografias, fundou o Curso Olavo Bilac, para ensinar a arte de dizer. Declamadora famosa e professora conceituada, lecionou por sete décadas, período em que diplomou centenas de outros declamadores.

Assim, nessa onda, fiz quatro anos desse curso e aprendi a declamar. Minha professora era a tijucana Maria Vilma e declamei em vários recitais, inclusive com a presença ilustre, mais de uma vez, do grande Bastos Tigre, na plateia.

Bons tempos! Nunca mais vi Maria Vilma.

E é com poesia que registro o dia de hoje.

Às mães, inclusive a minha, que continua viva, para sempre, no meu coração!


Ser Mãe
Coelho Neto

Ser mãe é desdobrar fibra por fibra o coração!
Ser mãe é ter no alheio lábio que suga,
o pedestal do seio, onde a vida,
onde o amor, cantando, vibra.

Ser mãe é ser um anjo
que se libra sobre um berço dormindo!
É ser anseio, é ser temeridade, é ser receio,
é ser força que os males equilibra!

Todo o bem que a mãe goza é bem do filho,
espelho em que se mira afortunada,
Luz que lhe põe nos olhos novo brilho!

Ser mãe é andar chorando num sorriso!
Ser mãe é ter um mundo e não ter nada!
Ser mãe é padecer num paraíso!


O escritor Coelho Neto é o autor da expressão CIDADE MARAVILHOSA.

Um comentário:

  1. Também fiz curso de declamação quando criança, mas foi em Copa, e a mestra era Magdalena Lea, mãe da inspiradora do site Velhos amigos.
    Fora isso, também em ondas nostálgicas, http://angelaescritora.multiply.com/journal/item/125/125
    e lá também há algo sobre a incrível gladys e seus bichinhos!

    ResponderExcluir

Comente! Seja bem-vindo!