terça-feira, 7 de maio de 2013

Cyro Monteiro, outro centenário, no Rio, a comemorar

Nesse ano de 2013, vamos comemorar, também, o centenário do carioca do bairro do Rocha, CYRO MONTEIRO.



No próximo dia 28 de maio, o  cantor da  caixinha de fósforos marcando o ritmo, voz suave e encorpada, cheia de ginga, o Formigão – apelido que ganhou dos amigos e que carregou pela vida inteir - faria aniversário.

Rubro-negro dos mais apaixonados, Cyro Monteiro tinha o hábito de presentear com uma camisetinha do clube do coração, cada filho de amigo que nascia. E sentia prazer especial no gesto, quando o pai torcia por outro time do Rio de Janeiro.

Foi o caso do compositor Chico Buarque. Torcedor do Fluminense, Chico foi presenteado com o manto sagrado do Mengão quando nasceu sua primeira filha, e, devolveu o mimo a Ciro, com um samba lindo, chamado Receita para virar casaca de neném


“Amigo Ciro
Muito te admiro
Meu chapéu te tiro
Muito humildemente.
Minha petiza
Agradece a camisa
Que lhe deste à guisa
De gentil presente
Mas, caro nego
Um pano rubro-negro
É presente de grego
Não de um bom irmão...”

Considerado  por Vinicius de Moraes como “o maior cantor popular brasileiro de todos os tempos”, foi um colecionador de sucessos:
  • Beija-me, Mário Rossi e Roberto Martins
  • Boogie-woogie na favela, Denis Brean
  • Escurinho, Geraldo Pereira 
  • Falsa baiana, Geraldo Pereira (com Benedito Lacerda & Seu Regional)
  • O bonde de São Januário, Ataulfo Alves e Wilson Batista
  • O que se leva dessa vida, Pedro Caetano 
  • Oh, seu Oscar!, Ataulfo Alves e Wilson Batista 
  • Os quindins de Iaiá, Ari Barroso
  • Se acaso você chegasse, Felisberto Martins e Lupicínio Rodrigues
  • Sereia de Copacabana, A. F. Marques e Antenor Borges

    dentre outros.

    Alguns Lps da carreira
   
     






 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Seja bem-vindo!