terça-feira, 16 de setembro de 2008

O galã das chanchadas


Carioca do mês de setembro, Cyll Farney foi o galã das chanchadas da Atlântida e arrancou gritinhos do sexo feminino, que também suspirava pelo par romântico mais querido do cinema brasileiro: Cyll Farney e Eliana.

foto: site memorial da fama
Atuou em mais de 30 filmes, muitos ao lado de Oscarito, Grande Otelo, José Lewgoy. Sucessos como Aí vem o Barão(1951) e Nem Sansão , Nem Dalila ( 1954) se tornaram clássicos imperdíveis de se ver-rever- até hoje.
Seu primeiro filme foi em 1947, ao lado de Marlene - Um Beijo Roubado, de Leo Marten - em que tocava bateria ao lado do irmão Dick Farney, também estreante. O título original era Noites em Copacabana, mas foi vetado pela censura, o que atrasou a estréia.

A fama de galã impediu que Cyll Farney desse grandes saltos em sua carreira. Ele contava que, no fim dos anos 50, quando também trabalhava como produtor da Atlântida, recebeu um roteiro internacional que o escolhia para um papel em que deveria se vestir de mulher. Ele o recusou, e igualmente o cachê de US$ 5 mil, pois não ficaria bem para sua condição de galã.

Anos depois, o roteiro transformou-se na clássica comédia Quanto Mais Quente Melhor, de Billy Wilder.

Certa vez em uma entrevista disse:"Eu me arrependi de não ter feito aquele filme... eu faria o papel do Tony Curtis e o Oscarito o de Jack Lemmon".

Um comentário:

  1. Olá, parabéns pelo trabalho feito no blog. Está muito legal. Eu gostaria de saber se posso linkar o seu blog no meu site, junto a outros sites que também tratam do Rio Antigo. Responda, por favor, ao e-mail colabore@editorarioantigo.com.br. Obrigado!

    ResponderExcluir

Comente! Seja bem-vindo!