sábado, 31 de janeiro de 2009

Histórias da Marechal Floriano

A Avenida Marechal Floriano, a eterna Rua Larga, é a rua que foi aberta após a união da antiga Rua Estreita de São Joaquim e da Rua Larga de São Joaquim, no tempo de Pereira Passos. A Rua Estreita era a mais antiga, de meados do século XVII e as duas se encontravam diante da Igreja de São Joaquim.
Ela soma muitas histórias, através dos tempos. Crônicas de jornalistas, cenário para Lima Barreto, local de prédios históricos, comemorações importantes e de acontecimentos pitorescos e interessantes. Das pesquisas para um projeto, o Almanaque da Marechal, algumas pinceladas.
Nela existiu uma loja de utensílios domésticos muito popular, o Dragão, mais conhecido, como o Dragão da Rua Larga. Essa loja precursora dos programas patrocinados, mantinha um programa de rádio muito popular, o programa de Ademar Casé.
Um dos primeiros jingles do rádio - do tempo que ainda não tinha esse nome - foi feito para o Dragão, e foi Noel Rosa quem compôs, em parceria com Vadico. Foi a Marcha do Dragão, e ela dizia:
"Você é mais conhecidodo que níquel de tostãomas não pode ficarmais populardo que O Dragão."
Certa vez, nesse mesmo programa, do qual era contratado, Noel transformou um de seus improvisos sobre sua composição “De babado” em,
“Quando andei pela BahiaPesquei muito tubarãoMas pesquei um peixe um diaQue engoliu a embarcação,

Não era peixe, era o Dragão”. (breque)


A Rua Larga de São Joaquim
nas comemorações dos 5 anos da Proclamação da República.
Ao fundo a Igreja de São Joaquim, que foi demolida.
Foto Marc Ferrez


Amanhã tem mais.

Um comentário:

  1. Eu cheguei a conhecer essa loja. O meu pai quando ia fazer compras no centro me levava com ele. Essa loja era enorme. Ela começava em uma rua e terminava em outra. Eram duas entradas. Eu me lembro das pilhas e pilhas de pratos. Das montanhas de panelas.

    ResponderExcluir

Comente! Seja bem-vindo!